poxnet

Escolas de Educação Infantil em São Paulo terão cartilha antirracista

Pesquisa aponta que metade dos professores já presenciou situações de racismo no ambiente escolar

Escolas de Educação Infantil em São Paulo terão cartilha antirracista

A Prefeitura de São Paulo lançou, nesta 3ª feira (22 mar), um currículo antirracista voltado para a educação infantil da capital paulista. Serão distribuídas 29,5 mil cartilhas que explicam sobre o racismo e abordam práticas que visam impedir o preconceito e promover igualdade e justiça social.

+ Leia as últimas notícias no portal poxnet

Também foi anunciada a compra de 128 mil bonecas e bonecos negros e migrantes para complementar a ação. O intuito é aproximar as crianças das culturas dos povos originários, como africanos e andinos. As bonecas estão divididas em kits compostos por três bonecos negros, três bonecas negras, um boneco andino, uma boneca andina e um boneco bebê negro.

De acordo com Tássio José da Silva, diretor da Divisão de Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação, por muito tempo os brinquedos que eram disponibilizados para as crianças de zero a 5 anos e 11 meses na Educação Infantil eram permeados por uma indústria cultural que produzia bonecos brancos.

"Ou seja, a maioria da população é negra e essas crianças por muito tempo, e ainda hoje em muitos locais, não se sentem representadas nesses brinquedos", explica Tássio.

O lançamento da cartilha faz parte de uma política pública implementada por meio de parceria das secretarias municipais de Educação (SME) e Relações Internacionais (SMRI) para combater o racismo estrutural na sociedade a partir da educação.

O material foi criado coletivamente por profissionais de educação para possibilitar uma reflexão sobre as práticas educacionais e propor vivências antirracistas no município de São Paulo, com base na Lei nº 10.639/2003, que em 2023 completa 20 anos, a qual aponta obrigatoriedade do ensino da história e cultura africana e afro-brasileira nas escolas.

t
128 mil bonecos serão destinados para escolas de Educação Infantil de São Paulo | Divulgação / Prefeitura SP

Racismo em sala de aula

A pesquisa mais recente realizada pela Nova Escola, organização social focada em Educação, revela que mais da metade dos professores já presenciou situações de racismo no ambiente escolar. O estudo contemplou entrevistas com 1.847 educadores de todo o Brasil.

No geral, 53,2% dos profissionais pretos e pardos declararam ter presenciado situações de racismo na escola nos últimos 5 anos. Além disso, 23,71% dos professores negros alegam que já foram alvo de discriminação. Apesar de estar previsto em lei, 6 em cada 10 professores ouvidos pela pesquisa dizem que não sabem ou afirmam que não existem investimentos em ações relacionadas com o ensino de história e cultura afro-brasileira em suas escolas.

Para Ana Ligia Scachetti, diretora Executiva da Nova Escola, os educadores precisam estar preparados para trabalhar as questões raciais, culturais e de representatividade. "Não só próximo a datas como o Dia da Consciência Negra. Essa precisa ser uma pauta do ano todo, estruturada, e que faça parte do projeto político pedagógico da escola", diz Scachetti.

Publicidade

Assuntos relacionados

racismo
educação
estudantes
bonecos
prefeitura
são paulo
antirracismo
mariana alonso
portalnews
sbtnews
educação infantil

Últimas notícias

Câmera registra grupo de jovens passando mal fora de carro de luxo

Câmera registra grupo de jovens passando mal fora de carro de luxo

Vítimas morreram intoxicadas por gás carbônico que vazou do escapamento de veículo em Balneário Camboriú (SC)
Comédia Minha Irmã e Eu é a maior estreia do cinema nacional em 2023

Comédia Minha Irmã e Eu é a maior estreia do cinema nacional em 2023

Mesmo estreando no fim de dezembro, filme protagonizado por Ingrid Guimarães e Tatá Werneck atraiu mais de 300 mil espectadores nos últimos dias do ano
RJ: mais de 400 motoristas foram flagrados alcoolizados no feriado de Ano Novo

RJ: mais de 400 motoristas foram flagrados alcoolizados no feriado de Ano Novo

Condutores foram pegos durante operação Lei Seca; Barra da Tijuca liderou ocorrências
Homem se entrega e confessa feminicídio após relatar ameaças

Homem se entrega e confessa feminicídio após relatar ameaças

Crime foi cometido em Campinas (SP). Vítima foi vista pela última vez no Natal, em festa com familiares do ex
FNDE terá processo seletivo de até 60 vagas temporárias de nível superior

FNDE terá processo seletivo de até 60 vagas temporárias de nível superior

Edital de abertura de inscrições deve ser publicado em até seis meses
Menino de 10 anos é detido após atirar e matar criança da mesma idade nos EUA

Menino de 10 anos é detido após atirar e matar criança da mesma idade nos EUA

Pai do jovem, identificado como Arkete Davis, também foi preso por portar arma ilegalmente
Justiça Federal libera R$ 2,5 bilhões para pagamentos de atrasados do INSS

Justiça Federal libera R$ 2,5 bilhões para pagamentos de atrasados do INSS

Valor é referente aos processos ganhos em novembro de 2023; 210 mil segurados serão beneficiários
RJ: 250 detentos não retornaram à prisão após “saidinha” de Natal

RJ: 250 detentos não retornaram à prisão após “saidinha” de Natal

Pelo menos dois dos foragidos são líderes da maior facção do estado
Veneza limita grupo de turistas e proíbe alto-falantes na cidade

Veneza limita grupo de turistas e proíbe alto-falantes na cidade

Medida tem como objetivo combater o turismo em massa na cidade
Buscas por helicóptero que desapareceu com 4 pessoas em SP entram no terceiro dia

Buscas por helicóptero que desapareceu com 4 pessoas em SP entram no terceiro dia

Investigações iniciais apontam que aeronave pode estar em alguma área entre a Serra do Mar e Caraguatatuba
poxnet Mapa do sitepoxnet Mapa do site